A cirurgia artroscópica do cotovelo é uma das formas menos invasivas de abordar essa articulação.
A cirurgia por artroscopia causa menor dano muscular, menor dor da pele e menos cicatrizes.

Cada vez mais a artroscopia do cotovelo vem tendo mais espaço, sendo em minha opinião a primeira escolha no tratamento da rigidez, artrose rádio-capitular, epicondilite lateral, impacto póstero-medial. A cirurgia artroscópica consegue ainda atingir várias regiões do cotovelo e lesões concomitantemente, coisa que não seria impossível na cirurgia aberta pelo mesmo corte. Por essa razão também é uma cirurgia mais completa e que tem potencial de tratar mais lesões ao mesmo tempo.

Devido à magnificação da óptica pequenas lesões podem tornar-se mais visíveis. O único entrave a artroscopia seria o treinamento do cirurgião ou a habilidade do manejo artroscópico. Caso o cirurgião ainda não esteja familiarizado com essa técnica o melhor é o método em que o cirurgião está treinado: “O melhor caminho em cirurgia é o caminho que você conhece”.

Minha artroscopia do cotovelo segue os padrões estabelecidos pela “Mayo Clinic”.
Para detalhes de tipos específicos de artroscopia do cotovelo, consulte nesse site as partes de lesões ortopédicas e trabalhos.

Dr. José Carlos Garcia Jr.

Ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês e referência em Ombro e Cotovelo do Hospital Moriah em São Paulo-Capital.

Médico graduado e pós-graduado pela Escola Paulista de Medicina(Federal de São Paulo).

Fellow na Mayo Clinic-Minnesotta-EUA, Princeton-EUA, IFOR e IRCAD da Universidade de Estrasburgo-França.

Mestre em Ciências da Saúde(MSc) pela Universidade de Liverpool-Inglaterra.

Doutor em Ciências(PhD) com tese sobre aceleração da cicatrização tendínea pela USP.

Professor Coordenador do centro de estudos NÆON, serviço referendado de formação de especialistas das Sociedades Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo e Internacional de Traumatologia do Esporte.

Atende no Núcleo de Medicina Avançada do Hospital Sírio-Libanês e no Hospital Moriah em São Paulo-Capital.

Telefones de marcação:
11-41078997 e 11-985588579