Instabilidade Póstero-Lateral-Rotatória do Cotovelo

Publicado em: 4 de maio de 2020 por Dr. José Carlos Garcia Jr.
Categorias: Lesões Cotovelo

A instabilidade póstero-lateral-rotatória do cotovelo pode ocorrer em ocasiões onde há luxação do cotovelo pelo mecanismo de O?Driscoll, ou seja compressão valgo e supinação.

Em geral há uma cicatrização lateral que supre a lesão do ligamento colateral ulnar lateral.

Nos casos onde há instabilidade ou dor lateral persistente com história prévia de trauma com o mecanismo descrito acima e no exame físico apresenta manobra do “pivot shift” positiva há indicação cirúrgica.

Os exames de imagem podem não ajudar muito se o médico que lauda não estiver acostumado com esse tipo de lesão.

Lesões crônicas podem ser facilmente confundidas e tratadas como epicondilite lateral, ou cotovelo do tenista.

Já encontrei pacientes em tratamento crônico de epicondilite lateral que na verdade tinham a instabilidade póstero-lateral-rotatória do cotovelo crônica.

Em atletas, o retorno para esportes pode ocorrer de 6 a 9 meses após a cirurgia.

A reabilitação deve ser orientada por profissional habilitado.

O procedimento ciúrgico é indicado para o tratamento desse problema, com enxertia do palmar longo.