Tratamento Cirúrgico da Cabeça do Rádio do Tipo Mason III e IV com Substituição Artroplástica Metálica

Publicado em: 5 de maio de 2020 por Dr. José Carlos Garcia Jr.
Categorias: Trabalhos Científicos - Cotovelo

Trabalho Apresentado
Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia:
2004-Rio de Janeiro-Brasil
Pôster

Objetivo
OS AUTORES ANALISARAM RETROSPECTIVAMENTE OS RESULTADOS DE 23 PACIENTES COM FRATURAS DA CABEÇA DO RÁDIO TRATADAS POR SUBSTITUIÇÃO ARTROPLÁSTICA METÁLICA

Material e Métodos
NO PERÍODO DE JANEIRO DE 1999 À DEZEMBRO DE 2003, 23 PACIENTES FORAM SUBMETIDOS A ARTROPLASTIA METÁLICA POR FRATURA DA CABEÇA DO RÁDIO, SENDO 19 (82,6%) DO SEXO MASCULINO E 04 (17,4%) DO SEXO FEMININO. O LADO ACOMETIDO FOI O ESQUERDO EM 15 (65,2%) PACIENTES. A IDADE MÉDIA FOI DE 37,3 ANOS. AS FRATURAS FORAM CLASSIFICADAS COMO MAISON III EM 6 (26,1%) E MAISON IV EM 17 (73,9%). HOUVE LESÕES ASSOCIADAS EM 20 (86,9%) PACIENTES. A MÉDIA DE SEGUIMENTO PÓS-OPERATÓRIO FOI DE 21,4 MESES.

Resultados
A MÉDIA DO ARCO DE FLEXÃO E EXTENSÃO DO COTOVELO PÓS-OPERATÓRIA FOI DE 120,45 GRAUS E DA PRONOSUPINAÇÃO DE 70,5 GRAUS. A AVALIAÇÃO PELO ÍNDICE DA CLÍNICA MAYO FOI EXCELENTE EM 10 (43,5%) CASOS, BONS EM 10 (43,5%) E TRÊS (13%) MAUS RESULTADOS.

ENCONTRAMOS 13% DE COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS.

Conclusão
A SUBSTITUIÇÃO ARTROPLÁSTICA COM PRÓTESE METÁLICA DA CABEÇA DO RÁDIO APRESENTOU ALTOS ÍNDICES DE EXCELENTES E BONS RESULTADOS, COM MANUTENÇÃO DO ARCO FUNCIONAL E ESTABILIDADE ARTICULAR.